28/05/2013

Agenda de Junho


 
2 de Junho, Domingo, às  15.00 horas
Praça da LeYa - Casa das Letras - stand D58
 
8 de Junho, Sábado, 15.00 horas
Praça da LeYa - Casa das Letras - stand D58
 

9 de Junho, Domingo
- 16.00 horas
Tertúlia sobre o romance histórico português
na Praça Amarela
 
-17.00 às 19.00 horas
Conversa com os leitores e sessão de autógrafos:
"O Espião de D. João II" que esgotou nas livrarias, estará à venda com preço de feira, no stand da Ésquilo - B17

11/05/2013

Não há só diamantes de sangue...

 
Também as grandes marcas ocidentais de roupa podem ficar com os seus texteis manchados de sangue. O barato pode sair-lhes muito caro em vidas humanas, de mão-de-obra barata, a nova escravatura os países pobres.
 
Para não pagarem salários justos aos trabalhadores, as grandes marcas "deslocalizam" as fábricas dos países europeus para países asiáticos onde homens, mulheres e crianças são infamemente exploradas, trabalhando em condições por vezes sub-humanas, com salários de miséria que mal lhes permitem sobreviver, para fazerem as peças de vestuário que são vendidas pelas empresas, com enormes lucros, no Ocidente.
 
Se ao menos tragédias como esta despertassem a consciência e a indignação dos consumidores e os levassem a boicotar estes novos esclavagistas, como a H&M e a GAP ou a Primark e a Mango.
 
O Rana Plaza, edifício que albergava cinco fábricas têxteis que forneciam marcas ocidentais, ruiu no passado dia 24 de Abril. Operações de resgate recolheram 1039 mortos e o número continua a subir

Mais de 2.500 pessoas foram resgatadas imediatamente após o desmoronamento, que aconteceu no passado dia 24 de Abril. Cerca de 1.000 encontram-se em estado grave e a recuperar de lesões complexas e de amputações de membros feitas no local por serem consideradas a única opção viável para retirada de muitos sobreviventes dos escombros.

O colapso do edifício Rana Plaza, construído com o objetivo de funcionar como centro comercial mas utilizado como fábricas têxteis com mão-de-obra barata para fornecer marcas ocidentais famosas como a Primark ou a Mango, terá acontecido devido à fraca estrutura do edifício e ao uso de maquinaria pesada e geradores de alta potência que a danificaram.
 
Embora já tivessem sido emitidos avisos acerca de eventuais problemas de segurança do complexo fabril, a produção continuou, dando espaço à tragédia. Entretanto, os responsáveis pelas fábricas e o dono do edifício foram detidos, à semelhança de especialistas que tinham atestado a segurança do Rana Plaza.
 
Os trabalhos de remoção dos escombros deverão prolongar-se, pelo menos, por mais uma semana, pelo que o Ministério do Interior do Bangladesh estima que o número de mortos confirmados possa continuar a subir.

(adaptado de Boas Notícias)

07/05/2013

Está-nos no sangue, a corrupção


Têm de ler até ao fim a crónica de Ferreira Fernandes para apreciarem a piada:

"Primo, mulher ou filho, a relação familiar pode variar, mas a etimologia de nepotismo é como a prova do algodão: a origem da palavra é "nipote", que em italiano quer dizer sobrinho. O nepotismo é de país do Sul, evidentemente. Cola-se--nos aos costumes, a todos PIGS - tugas, macarronis, coños e outros comedores de iogurte com pepino picado -, gente mediterrânica que começa a corrupção logo lá em casa. Sabem como termina a Carta de Pêro Vaz de Caminha ao Rei, depois do achamento do Brasil? A pedir um favor para o genro! E depois não queremos os alemães a dar-nos lições...
Agora, mais uma região europeia do Sul, palco de nepotismo. Há 15 dias, o líder parlamentar de um partido do Governo demitiu-se do cargo, depois de se saber que empregava a mulher como sua secretária há 23 anos, com salário mensal de 5500 euros pago pelo Parlamento.
Na semana passada, o presidente da comissão parlamentar de Finanças, do mesmo partido, também se demitiu: tinha há dez anos como assalariados, pagos pelo Parlamento, a mulher e os dois filhos. Estes, quando começaram a mamar dos dinheiros públicos, tinham 13 e 14 anos. Apesar de se terem demitido dos cargos de direção, os dois políticos continuam deputados.
No Sul pode haver muito défice, mas não de falta de vergonha.
Ah, já me esquecia, a região europeia de que falo é a Baviera, no Sul da Alemanha. E os deputados, Georg Schmid e Georg Winter, são da CSU, da coligação de Angela Merkel.

(Ferreira Fernandes - Diário de Notícias - Opinião)

05/05/2013

O prémio de arquitectura Wan 2013

Mais um prémio internacional para arquitectos portugueses.
O prémio de arquitectura Wan 2013 está na Pontinha
Foi a primeira vez que a equipa do gabinete CVDB Arquitectos se candidatou aos Wan Awards, promovidos pela publicação World Architecture News. Bastou. O projecto da Escola Secundária Braamcamp Freire, na Pontinha, criado pelo atelier de Cristina Veríssimo e Diogo Burnay, conquistou o prémio de 2013 na categoria Educação.

Aos arquitectos foi pedido que apresentassem propostas que se ajustassem à actual conjuntura económica difícil — foram recebidos 82 projectos de todo o mundo nesta área. A escola cumpriu os requisitos. Em funcionamento desde o ano passado, foi criada a partir de uma série de pavilhões existentes, transformados numa única unidade, cujo preço de construção ficou em 798 euros por metro quadrado, um valor “incrivelmente baixo, tendo em conta a elevada qualidade final”, destacou o júri.

 “O projecto tem essa particularidade de ter conseguido um custo muito baixo por metro quadrado, aliado a um bom nível de design, e foi bem acolhido pela comunidade escolar”, salientou Diogo Burnay, em declarações à agência Lusa, acrescentando que os créditos cabem a uma equipa de 16 pessoas, na maioria, jovens arquitectos. “Nos dias de hoje, com a crise que atravessa o sector, sabe bem receber um prémio”, comentou.

Na mesma área, foi distinguido um outro projecto, ainda não concretizado, de um jardim infantil, idealizado pelo atelier esloveno Modular Architects.

Ver mais fotos do edifício premiado Aqui

03/05/2013

Ship Reconstruction Laboratory

O Professor Dr. Filipe Vieira de Castro dirige o Ship Reconstruction Laboratory, na Texas A§M University - Center of Maritime Archaeology and Conservation (EUA), com projectos que incluem a construção de um modelo de uma nau portuguesa naufragada, partindo dos achados arqueológicos subaquáticos.


The ShipLab was created by J. Richard Steffy in 1976 and today is one of the laboratories of the Centre for Maritime Archaeology and Conservation of the Anthropology Department at Texas A&M University.

Its mission is to acquire and disseminate knowledge about shipbuilding through time. As a classroom its main objective is to provide an effective learning environment. As a research laboratory its objective is to facilitate investigation, seek public and private research funds, and recruit and retain quality students for its projects.

As an outreach institution it aims at providing information, education, and guidance about the discipline of nautical archaeology and the importance of the world's submerged cultural heritage, perhaps more than ever threatened by treasure hunting.

To see here:
http://nautarch.tamu.edu/shiplab/index_00main.htm

Para ver Aqui

Menino de 5 anos mata a irmã de 2 anos com tiro de espingarda nos EUA


Do Mundo Notícias

O caso chama atenção porque a arma foi dada ao menino como presente pelo seu 4º aniversário. Isso mostra como pode ser incrivelmente difícil impor algum tipo de restrição ao comércio de armas de fogo por lá.

Nos Estados Unidos, a morte de uma criança, atingida por um tiro de espingarda, mostrou como pode ser incrivelmente difícil impor algum tipo de restrição ao comércio de armas de fogo por lá.

A pequena Caroline Sparks, de 2 anos, é descrita como uma criança alegre e feliz. Linda, a avó, diz que a neta via graça nas pequenas coisas. Tudo o que resta para a família do estado do Kentucky agora são lembranças. Caroline morreu com um tiro de espingarda, disparado pelo irmão de 5 anos. A mãe estava em casa, saiu para o quintal por alguns minutos, quando ouviu o barulho do tiro.

O caso chama atenção porque a arma foi dada ao menino como presente de aniversário. Para o tio, o que aconteceu foi um acidente trágico. A avó completa: “Era a vontade de Deus. Era a hora de Caroline partir”.

O que aconteceu a essa menininha de 2 anos no Kentucky revela um hábito em algumas regiões dos Estados Unidos: pais dão espingardas de presente aos filhos pequenos. Isso é tão comum, que a indústria investe em armas de verdade, com capacidade para um tiro, especificamente para estas crianças.
Elas são vendidas legalmente na internet. A campanha em um site diz: "Minha primeira espingarda". Uma sessão é dedicada a fotos de crianças, que aparecem com as suas armas.  As espingardas à venda são coloridas. E há modelos rosa, para as meninas. Foi uma arma desse tipo que matou Caroline.

Joe Phelps, juiz da cidade onde ela morreu, explica que dar armas às crianças é um hábito normal, em todas as áreas rurais dos Estados Unidos, para que elas aprendam a caçar. "Elas aprendem bem cedo a usar e a respeitar armas", afirma o juiz.

Para a polícia do Kentucky, foi um acidente. A casa da família Sparks agora está vazia. Ficaram apenas o cachorro e o carrinho do garoto de cinco anos que recebeu a espingarda dos pais.

Apesar de considerar a morte de Caroline um acidente, a polícia do Kentucky afirma que a investigação vai levar semanas. E que ainda é cedo para dizer se alguém será responsabilizado criminalmente.

(Jornal Nacional, Brasil - adaptado)

Paulo Morais: Crise foi provocada pela corrupção, não pelos excessos dos portugueses


O vice-presidente da Associação de Integridade e Transparência, Paulo Morais, garantiu hoje que a crise económica em Portugal não se deve ao facto de os portugueses terem vivido acima das suas possibilidades, mas aos fenómenos de corrupção.
 
"Há duas mentiras que têm sido repetidas na sociedade portuguesa: que os portugueses andaram a gastar acima das suas possibilidades e que não há alternativa à austeridade para expiarem os pecados (que não cometeram)", disse.

Segundo Paulo Morais, que falava sobre a "Origem da Crise" numa conferência sobre o modelo do Estado Social, promovida pela Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal, "grande parte da divida pública e privada é fruto da corrupção e não dos alegados excessos dos portugueses".

Paulo Morais destacou o peso do caso BPN e das Parcerias Público-Privadas (PPP), entre outros, na dívida pública e lembrou que 68% da dívida privada é resultante da especulação imobiliária, salientando que só cerca de 15% da divida privada se pode atribuir aos alegados excessos dos portugueses.

Os resultantes 15% da divida privada, disse Paulo Morais, correspondem a todo o dinheiro disponível na banca para apoiar a economia portuguesa, que considerou insuficiente.
Para o antigo vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, a verdadeira explicação para a crise em Portugal está nos fenó9menos de corrupção na administração central e local, que têm permitido a "transferência de recursos públicos para grandes grupos económicos".

"Seis a sete por cento dos recursos do Orçamento de Estado vão para grandes grupos económicos", disse Paulo Morais, referindo o grupo Espírito Santo, o grupo Mello e o grupo Mota Engil, como alguns dos principais beneficiários.

"Em 2011, as PPP custaram 1.700 milhões de euros, ou seja, mais do dobro dos 799 milhões de euros que estavam previstos inicialmente", disse Paulo Morais, considerando incompreensível que tivesse havido um desvio com um custo superior ao preço que estava inicialmente previsto.
"O que o Estado pagou a mais às PPP só é possível porque a sede da política - Assembleia da República - está transformada num centro de negócios", disse.

Como exemplo da gestão danosa dos dinheiros públicos, Paulo Morais referiu uma fórmula de cálculo inserida no contrato de uma PPP, numa auto-estrada em Viana do Castelo, em que o concessionário paga multas, ou recebe prémios do Estado, em função da taxa de sinistralidade.
"Se a sinistralidade aumentar 10%, o concessionário tem de pagar uma multa de 600 mil euros, mas, se houver uma redução de 10% na sinistralidade, o Estado tem de pagar à empresa 30 milhões de euros", disse.

"Quem assinou o contrato, só por isso, devia estar preso", sentenciou.

Referindo-se à nacionalização do BPN, Paulo Morais lembrou que o anterior governo socialista nacionalizou apenas os prejuízos, que estão a ser pagos pelo povo português, e permitiu que os acionistas da SLN - Sociedade Lusa de Negócios (agora com o nome Galilei), detentora do banco, ficasse com os ativos e com todas as empresas lucrativas.

Paulo Morais garantiu, no entanto, que "se houver vontade política e se a justiça actuar como deve, o Estado ainda pode recuperar três ou quatro mil milhões de euros, através dos activos do grupo Galilei e das contas bancárias dos principais accionistas".

A aquisição de dois submarinos à Alemanha é, segundo Paulo Morais, mais uma caso de "corrupção comprovada", não pelos tribunais portugueses, mas pelos tribunais da Alemanha.
"Na Alemanha há pessoas [acusadas de corrupção] a dormirem todos os dias na cadeia", disse.

02 Maio 2013, 20:02 por Jornal de Negócios | jng@negocios.pt

02/05/2013

Filme e Programa da Exposição 360º Ciência Descoberta

360º Ciência Descoberta

Uma Exposição a não perder, na Gulbenkian, com inúmeras visitas guiadas, inclusive para famílias, conferências e outras actividades.

Uma grande lição para os ignorantes que defendem a posição "politicamente correcta" de que Portugal devia ter vergonha dos Descobrimentos, por ser um período de violência (como o era então para todas as nações desenvolvidas). Quem isto diz, desconhece como os Portugueses estavam na dianteira das nações europeias, e o seu importantíssimo, e mesmo pioneiro, papel na revolução e desenvolvimento do conhecimento europeu, não só em termos científicos, culturais, como em muitos outros campos. 



Ver o calendário, horário das visitas guiadas e o programa das conferências Aqui

01/05/2013

Die rote blume - Os Cravos Vermelhos

Uma pérola de animação sobre a Revolução dos Cravos - 25 de Abril, com tanto simbolismo  nestes nossos dias


Maio Maduro Maio

Memórias do 1º de Maio da nossa liberdade