25/04/2010

25 de Abril...

Que aconteceu ao sonho de um Portugal livre, culto, justo, honrado e generoso?



(...) Essa história tão bonita
e depois tão maltratada
por quem herdou a desdita
da história colonizada.

Dai ao povo o que é do povo
pois o mar não tem patrões.
- Não havia estado novo
nos poemas de Camões!

Havia sim a lonjura
e uma vela desfraldada
para levar a ternura
à distância imaginada.

Foi este lado da história
que os capitães descobriram
que ficará na memória
das naus que de Abril partiram
das naves que transportaram
o nosso abraço profundo
aos povos que agora deram
novos países ao mundo.

Por saberem como é
ficaram de pedra e cal
capitães que na Guiné
descobriram Portugal.

Em em sua pátria fizeram
o que deviam fazer:
ao seu povo devolveram
o que o povo tinha a haver:
Bancos seguros petróleos
que ficarão a render
ao invés dos monopólios
para o trabalhos crescer.
Guindastes portos navios
e outras coisas para erguer
antenas centrais e fios
de um país que vai nascer.

Mesmo que seja com frio
é preciso é aquecer
pensar que somos um rio
que vai dar onde quiser

pensar que somos um mar
que nunca mais tem fronteiras
e havemos de navegar
de muitíssimas maneiras (...).

Excerto do poema "As portas que Abril abriu"

de José Carlos Ary dos Santos - Lisboa, Julho-Agosto de 1975

3 comentários:

M. disse...

Viva o 25 de Abril!
Viva a Liberdade!!!
(É pena ela ser, por vezes, mal aproveitada, o que nos tem feito regredir em muita coisa importante.)

Um abraço "cravejado",
Madalena

Catarina disse...

Tantas esperanças que se alimentaram! E ninguém até ao momento actual soube aproveitar - no bom sentido - a grande façanha do 25 de Abril.

Cristina disse...

Eu continuo a acreditar que é possível, por isso transmito o que sei aos meus filhos e luto todos os dias para que cheguemos lá. Nunca é tarde, NUNCA.
O 25 de Abril foi uma conquista está nas nossas mãos que nada seja esquecido.